Simples hábito de lavar as mãos ajuda na prevenção de doenças

15/10/2011 11:10

 

 

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) indicam que a maioria das infecções pode ser prevenida por meio de uma única medida, lavar as mãos sempre e de forma correta. Pensando nisso, o Ministério da Saúde lançou nesta sexta-feira, véspera do Dia Mundial de Lavar as Mãos, a campanha Saúde a Gente Também Aprende na Escola. Lave as Mãos com Água e Sabão.

O objetivo da pasta, que conta com a parceria da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), é conscientizar a população – sobretudo estudantes, professores e funcionários de colégios – sobre os benefícios de higiene adequada das mãos, afastando doenças transmitidas por bactérias, vírus e fungos.

A data, que já é celebrada em mais de 80 países, chama a atenção para a importância de se lavar corretamente as mãos e a eficácia do hábito no combate à doenças fatais às crianças, como por exemplo a diarreia. 

De acordo com a OMS, 250 mil crianças morrem todos os anos de diarréia e 3 milhões e quinhentas mil perdem a vida antes dos cinco anos por causa de outras doenças que poderiam ser evitadas. Lavar as mãos com sabão é uma das formas mais eficazes de se prevenir a diarreia. 

Outra maneira de limpar as mãos é através do álcool gel, que passou a ser usado ainda mais pela população após a pandemia de gripe A. E ao contrário do que se pode pensar, é tão eficaz quanto água e sabão. Exceto quando as mãos estiverem com sujeira ou gordura evidente, onde o álcool tem sua ação prejudicada. 

Na avaliação de médicos, a falta de higiene com as mãos pode facilitar a transmissão de muitas outras doenças virais e bacterianas além da diarreia, entre elas, conjuntivite, febre tifoide, gripe e hepatite. Eles explicam ainda que quando as mãos entram em contato com uma superfície contaminada e não são esterilizadas, os micro-organismos podem pegar carona e contaminar olhos, bocas, narinas, pele e alimentos.

Brasileiro é recordista em banho, mas não lava as mãos 
Uma recente pesquisa feita pela consultoria inglesa TNS Global Market Research em mais de dez países, e que por aqui ouviu 1.057 pessoas de quatro capitais, São Paulo, Rio de Janeiro, Recife e Porto Alegre, mostrou que somos recordistas mundial em banhos, com mais de 20 por semana, mas quando o assunto é lavar as mãos, deixamos a desejar. 

O levantamento mostrou que, 49% dos brasileiros, menos da metade, lavam as mãos depois de usar o banheiro, 46% antes de cozinhar, 21% após tocar em animais e ao alimentar crianças, somente 16% adotam esse hábito de higiene tão comum.

A falta de higiene foi justificada sob a alegação de desinformação. A maioria, 53%, afirmaram desconhecer a existência de germes e 30% dos brasileiros sabem que eles existem, mas não se preocupam com os riscos.


Agência Brasil - cadastrado por Aline Morillas

 

c